Metodología

de Trabajo

     A Metodologia TBBH - Training to Be a Better Human (Treinando para ser uma pessoa melhor) começou a ser criado em 2005 pelo professor João Bastos e foi se aperfeiçoando ao longo de 10 anos. Está destinada ao público adolescente (jovens de 12 à 19 anos), por se tratar de um período na vida do indivíduo muito delicado, onde os índices mundiais de indisciplina e perda de orientação como um todo e seus valores, revelando um retrato de uma sociedade chamada de moderna, em crise.

Por outro lado, acreditamos que cada pessoa pode desenvolver seu potencial, mas para isso, é preciso antes conhecer a si mesmo para perceber a diferença em sua vida. É por isso que a Metodologia TBBH faz com que os atletas atinjam o limite (de forma responsável) do corpo, da mente, da alma para que eles possam então se encontrar. Para tal, é imprescindível ser absolutamente transparente com os atletas. Desenvolver e fortalecer os pontos fortes do indivíduo. Conhecer os pontos fracos e buscar minimizá-los.

Dentro das ramificações que a metodologia TBBH possui, 3 modelos de ensino também estão presentes. São eles:

Modelos Tradicional, Comportamental e Humanista.

Como a disciplina é o centro de todo o processo, o modelo tradicional busca inculcá-lo aos atletas através do papel do treinador.

No modelo comportamental, a Metodologia TBBH busca a superação do indivíduo através da transmissão do conhecimento e não apenas a importância de se conseguir ganhar nos torneios, mas também fazer com que eles (atletas) busquem principalmente a vitória e a melhoria interna, a transformação de seu ambiente e uma melhor qualidade de vida.

Conseqüentemente, com a soma desses dois primeiros, o modelo humanista é desenvolvido quase que automaticamente. Porque, para alcançar nossos objetivos, devemos ter disciplina e exigir de nós mesmos. Sem disciplina, compromisso, paciência, foco e dedicação é difícil que as coisas sejam conquistadas sem muito esforço. À medida que crescemos, nós não só tomamos nossas próprias decisões, mas também enfrentamos as conseqüências de nossas ações. Antes de pensar sobre a concorrência com os outros, devemos nos concentrar em alcançar a vitória interna. Superar e demonstrar que somos capazes de alcançar cada objetivo que estabelecermos. Sejam eles a curto , médio ou longo prazo.

“Eu exijo resultados sabendo que são possíveis, porque eu también fui atleta, aluno e passei pelas mesmas situações que os meus nadadores passarão.

Por isso o que eu faço é condicionar os corpos e treinar as mentes”

Prof. Joao Bastos

“Mens sana in corpore sano”

"Mens Sana in Corpore Sano" é um conhecido pensamento latino que tem sido repetido por muitas gerações em todo o mundo, a fim de consolidar entre os homens a necessidade de cuidar do corpo e da mente com a mesma importância.

A metodologia TBBH começa justamente à partir deste ponto, porém de uma maneira mais profunda. Não se trata apenas de criar um atleta de ponta, mas também de transformar a pessoa. Fazer com que ela descubra o quão grande pode ser.

Não basta apenas ter o "Corpore Sano" desenvolvido através de uma completa árdua dedicação aos treinamentos na piscina e academia de musculação. Igualmente importantes são as vitórias que derivam do estudo, do esforço com os livros, da presença e da participação na turma. É nesta exigência que o esporte, como ponto de partida, se torne uma referência diferenciada e inteligente para todos aqueles que trabalham e experimentam  a educação em seu estado sólido.

Nós sempre acreditamos que o esporte complementa a formação humana. Depois de praticar esportes, aprendemos a trabalhar melhor em equipe. Nos torneios percebemos nossas forças e limitações. No difícil treinamento contínuo, concebemos em nós disciplina, paciência, superação e responsabilidade.

    Podemos observar que, em várias partes  do mundo, vários professores, que atualmente tentam exercer a liderança na Educação Física, não estão preparados para isso.

Em primeiro lugar, eles não gostam do trabalho com pessoas, não se preocupam com elas, as vêem em muitas das vezes como um objeto para que eles ("professores") atinjam seus objetivos e, por isso, muitas vezes não o conseguem.

Em segundo lugar, é vital trabalhar em relacionamentos pessoais. Os chamados feedbacks. Sejam físicos ou psicológicos. Ter esses feedbacks é de extrema importância.

Alguns têm medo de certos comentários e de serem vistos como os "malvados" do clube ou da escola, preferindo ficar bem com os adolescentes. Enquanto outros acreditam que esse termo só pode ser usado quando ocorre algo errado e, em seguida, o resultado não aparece.

Quantos treinadores vemos em escolas e clubes que possuem estratégias maravilhosas e não sabem como executá-las?

Como executar treinamentos que nem o líder sabe por onde começar?

O líder precisa ensinar o caminho, que tudo é possível e que você está na equipe ao longo do processo de aprendizagem.

Os treinadores precisam ser um exemplo vivo porque são transformadores das pessoas e do ambiente em que vivem e para tal, necessitam buscar seu autoconhecimento e conhecer as pessoas com quem se relacionam para ajudá-los a se desenvolver e torná-los brilhantes.

O atleta não pode ter medo da vitória ou derrota, porque então, ele acabará também criando  insegurança nas pessoas com quem ele convive. É necessário tentar, porque liberado do medo, será um exemplo a seguir.

    O mais importante é saber que não vamos chegar a lugar algum se não aspirarmos  algo maior. Não importa o ponto de partida.

A grande diferença que nós, os educadores, fazemos na vida do outro, é saber que, por trás de um gesto, uma palavra ou um ato, existe um ser humano que merece nossa confiança. É necessário acreditar além das aparências. Ser incansável em ajudar o outro a buscar uma vida melhor.

O fracasso nunca é de um só. O fracasso arrasta tudo o que está envolta, nos aflige e alcança as pessoas que amamos.

A superação beneficia um grande número de pessoas, pois é fonte de inspiração.

Para melhorar a condição de vida não existe outro caminho que não o de acreditar que é possível ir além e arregaçar as mangas e dar o seu melhor naquilo que estiver fazendo.

O que faz a diferença é a visão e a vontade de alcançar o ponto de chegada.

É preciso trabalhar duro, lutar, enfim, nadar como campeão.

Jamais desistir!

Essa não é apenas minha metodologia de trabalho, é também minha filosofia de vida.

“Eu amo os desafios, já que, como atleta, empresário e treinador sempre fizeram parte da minha vida. Um líder é eternamente movido por desafios, se não, sua vida não tem sentido.”

Prof. Joao Bastos

© 2018 by J. Bastos - Swimming Coach. All rights reserved.